Novo Blog para o Concelho de Ourém. Rumo à Excelência. Na senda da Inovação
comentar
publicado por João Carlos Pereira e Friends, em 30.09.10 às 23:59link do post | | adicionar aos favoritos

Para quem gosta de desenho e fotografia, ora aqui tem uma excelente sugestão para “Encontrar Ourém”.


comentar
publicado por João Carlos Pereira e Friends, em 29.09.10 às 18:52link do post | | adicionar aos favoritos

 

Liberdade

 

Aqui nesta praia onde

Não há nenhum vestígio de impureza,

Aqui onde há somente

Ondas tombando ininterruptamente,

Puro espaço e lúcida unidade,

Aqui o tempo apaixonadamente

Encontra a própria liberdade.

 

Ausência

 

Num deserto sem água

Numa noite sem lua

Num país sem nome

Ou numa terra nua

 

Por maior que seja o desespero

Nenhuma ausência é mais funda do que a tua.

tags:

comentar
publicado por João Carlos Pereira e Friends, em 27.09.10 às 22:21link do post | | adicionar aos favoritos

 

Florbela Queiroz vai voltar aos palcos e à Revista, com a estreia no final do mês de “Vai de email a pior” no Teatro Maria Vitória, no Parque Mayer.

Aos 67 anos, a actriz regressa agora, depois de 14 anos afastada do teatro, pelas mãos do produtor Hélder Costa, numa peça que conta com encenação de Francisco Nicholson.

Como gosta de afirmar, a Revista é sempre um espectáculo de crítica social e política, mas, pena é que “os velhos não podem trabalhar”, já que “tudo o que passe dos 40 anos já não serve”.

Florbela Queiroz referia-se ao longo período em que esteve sem trabalho, o que a levou até a publicar um anúncio nos principais jornais nacionais a procurar trabalho, anúncio cujo texto, de acordo com Florbela Queiroz, foi literalmente copiado de um que a actriz norte-americana Bette Davis também havia publicado quando se deparou com o dilema de ficar durante três anos sem trabalhar.

Infelizmente, em Portugal, os grandes talentos são, com alguma frequência, esquecidos, e o seu trabalho não é valorizado nem aproveitado.

Volvidos estes anos todos, Florbela Queiroz volta a pisar os grandes palcos para fazer aquilo de que mais gosta: teatro.

Estamos certos que esta peça irá ser um grande sucesso, e que os portugueses vão reconhecer uma vez mais o seu enorme talento.

Por isso mesmo, seja Bem-vinda Florbela Queiroz, já tínhamos saudades suas.


comentar
publicado por João Carlos Pereira e Friends, em 27.09.10 às 20:03link do post | | adicionar aos favoritos

 

Até há bem pouco tempo, quem se dirigisse a Fátima e percorresse as principais artérias da cidade era confrontado com um cenário que tinha tanto de religioso como de carnavalesco.

Referimo-nos às principais ruas comerciais, onde os lojistas prolongavam a venda dos seus produtos nos passeios públicos, tornando a circulação pedonal nessas zonas francamente difícil, para além de constituir um cenário visual que em nada abonava a favor da imagem com que ficavam os visitantes que vinham até Fátima.

O ridículo chegava (e chega, só que agora estão dentro das lojas) ao ponto de se vender de tudo um pouco, desde santos, medalhas e imagens de Nossa Senhora, passando pelas bolas de futebol, cachecóis do Benfica, do Sporting e do Porto, acabando nos baldes, nas pás e nos tractores para as crianças brincarem na praia.

A oferta era variada, mas às vezes muito pouco religiosa. Aliás, a trilogia bem portuguesa do “Fado, Futebol e Fátima”, encontrava aqui o seu expoente máximo, a sua raiz ou o seu embrião. Era perfeitamente normal encontrar num qualquer passeio uma imagem religiosa rodeada por uma bola de futebol e por uma caneca com a cara de um qualquer fadista famoso.

Para pôr fim a este desfile carnavalesco de bugigangas, a Câmara Municipal de Ourém (CMO), e bem, legislou no sentido de obrigar os lojistas a retirarem os seus mostruários dos passeios, desimpedindo-os para os devolver às pessoas.

A medida já deu azo a que, pelo menos, um fiscal da CMO fosse agredido por um lojista, por não concordar com as novas regras que obrigam os comerciantes a expor entre portas todos os seus tarecos e quinquilharias.

Pela nossa parte, para além de concordarmos com a medida, ainda iríamos mais longe: decretávamos a proibição de misturar alhos com bugalhos, sagrado com profano, futebol com religião…

Não se trata de perseguir os lojistas e de coarctar a sua liberdade de venda, trata-se apenas de não conspurcar a imagem que Fátima granjeou desde 1917, poluindo os objectos religiosos que a dignificam e que lhe dão identidade própria, com objectos de uma vida mundana que ficavam bem à venda lá para os lados da feira da ladra.  

Para além disso, as barracas montadas em plenos passeios públicos são uma imagem pouco digna de ser ver, sobretudo para aqueles milhões que visitam Fátima todos os anos e que cá deixam o precioso dinheiro que faz girar a economia da cidade e do concelho.


comentar
publicado por João Carlos Pereira e Friends, em 26.09.10 às 23:59link do post | | adicionar aos favoritos

 

Para fechar o capítulo da “Tourada de Ourém”, vieram agora as explicações sobre os verdadeiros motivos que levaram a Câmara Municipal de Ourém (CMO) a cancelar o evento.

A este assunto já tínhamos feito referência num texto que publicámos aqui no passado dia 26 de Agosto.

Para além disso, a edição online do Jornal “O Mirante”, do passado dia 8 de Setembro, já nos dava conta que o local escolhido pela autarquia oureense e as condições de segurança não eram as ideais para a realização do espectáculo.

Daí que a CMO, numa lógica de custo / benefício, tenha decidido pelo cancelamento da tourada, o que não vai invalidar que a autarquia se veja na necessidade de ter de pagar uma indemnização pela rescisão do contrato que celebrou para esta festa, que se estima em certa de doze mil euros.

Também o Jornal “Notícias de Ourém”, na sua edição de sexta-feira passada (dia 24 de Setembro), inteirava os oureenses dessas mesmas razões, apontando ainda o facto de a Oposição do PSD se ter insurgido contra esta “gestão errada do executivo” oureense.

 

Com efeito, os vereadores do PSD lamentaram a forma como este processo foi conduzido desde o início, afirmando que a programação do evento foi feita com “falta de rigor”, o que originou mesmo a apresentação de uma declaração política, na qual ficou demonstrado para memória futura o seu total desagrado em relação a toda esta situação.

Quem parece não ter gostado muito desta tomada de posição foi o vereador socialista Nazareno do Carmo, que lá foi dizendo que se a Oposição do PSD prefere criticar apenas o que corre mal ignorando o que corre bem, então não contem com ele para mais organizações de espectáculos em Ourém.

Pela nossa parte, queremos apenas concluir esta história tauromáquica com duas notas de rodapé.

A primeira, para dizer que o episódio é realmente lamentável. Não compreendemos como é que só em cima da realização do evento houve a preocupação com a definição do local e a ponderação das questões de segurança.

Tal como afirmou o vereador socialista José Alho, este tipo de espectáculos requer uma contratualização com muita antecedência, o que só vem provar que a CMO teve muito tempo para planear as coisas, aliás como era o seu dever. Se não as preparou atempadamente, errou, e só lhe fica bem admitir o erro.

Neste ponto, estiveram bem os vereadores do PSD por não terem deixado passar em branco esta questão, tanto mais que o imbróglio acarretou, como muito bem lembraram, uma pesada factura de doze mil euros para o município que era escusada e perfeitamente evitável, ou não estivesse a CMO na situação financeira difícil que todos conhecemos.

Acresce que foram precisas algumas semanas para que o presidente da Câmara, Paulo Fonseca, viesse assumir toda a responsabilidade pela anulação da tourada, posição que deveria ter assumido e explicado aos oureenses logo que foi tomada a decisão de não realizar o espectáculo.

 

A segunda nota tem a ver com o irascível amuo do vereador Nazareno do Carmo, que não gostou do tom da crítica formulada pelo PSD, batendo com a porta quanto à organização de eventos em Ourém.

É um facto que os gestores de empresas correm riscos, mas não são os únicos. Mas, também é verdade que os bons gestores ou os bons líderes têm de saber assumir, com humildade, os erros que cometem, e aprender com eles. Só assim serão reconhecidos e valorizados pelas equipas que chefiam ou lideram.

Resumindo: tourada houve, mas foi só para alguns. 


comentar
publicado por João Carlos Pereira e Friends, em 25.09.10 às 18:42link do post | | adicionar aos favoritos

Biodiversity and Climate Change from CBD on Vimeo.


comentar
publicado por João Carlos Pereira e Friends, em 25.09.10 às 18:37link do post | | adicionar aos favoritos

Biodiversity song – Higashiyama Zoo and Botanical Gardens, Nagoya from CBD on Vimeo.


comentar
publicado por João Carlos Pereira e Friends, em 25.09.10 às 18:29link do post | | adicionar aos favoritos

 

Foi com agrado que lemos na Edição de ontem do “Notícias de Ourém” (página 7) a notícia de que a Câmara Municipal de Ourém (CMO) e a Ambiourém celebraram um protocolo com a associação ACHAR, “que actua numa vasta zona do Ribatejo na área da agricultura e florestas”.

Segundo Paulo Fonseca, presidente da edilidade oureense, o protocolo tem em vista a valorização do pelouro do desenvolvimento rural e florestas.

Na verdade, sendo o concelho de Ourém caracterizado por vastas áreas de floresta, com uma mancha verde vastíssima, e tão fustigado que tem sido nos últimos anos pelos incêndios, é bom que a CMO olhe com olhos de ver para este problema e que aposte na defesa e na prevenção, mas também na preservação e valorização deste bem que não só é de todos como é igualmente precioso.

O passo em frente que agora foi dado pela CMO no âmbito florestal vem ao encontro do facto de a Organização das Nações Unidas ter decretado 2011 como o Ano Internacional das Florestas, o que, a não ter sido propositado, não deixa de ser, contudo, uma feliz coincidência.

Parabéns aos interlocutores deste processo, pois achamos que vale sempre a pena dar conta do bom trabalho que por cá se vai fazendo. É que nesta vida não se pode andar sempre a criticar, também é importante chamar a atenção para as coisas boas que vão aparecendo.


comentar
publicado por João Carlos Pereira e Friends, em 23.09.10 às 23:24link do post | | adicionar aos favoritos

 

A pouco mais de três meses do final de 2010, é importante relembrar que este ano foi declarado pela Organização das Nações Unidas (ONU) como o “Ano Internacional da Diversidade Biológica”, uma campanha mundial cujo mote foi a sensibilização para a salvaguarda da biodiversidade no nosso planeta.

Com efeito, estabelecida na Cimeira da Terra, que decorreu na cidade do Rio de Janeiro em 1992, a Convenção para a Diversidade Biológica (que conta com mais de 191 parceiros) consubstancia-se num tratado internacional que tem por objectivo a defesa da conservação e o uso sustentável da biodiversidade, através de uma partilha equitativa dos múltiplos benefícios dessa biodiversidade.

O lema da campanha para 2010, “A biodiversidade é a vida. A biodiversidade é a nossa vida”, teve em vista sublinhar o papel crucial da natureza no apoio à vida na Terra, onde se inclui a nossa própria vida.

De entre os objectivos estabelecidos para o “Ano Internacional da Diversidade Biológica” contam-se, nomeadamente:

- Intensificar a consciência pública para a importância da salvaguarda da biodiversidade e para as ameaças que lhe estão subjacentes;

- Promover o conhecimento das acções que foram já concretizadas para salvaguardar a biodiversidade, e que têm vindo a ser tomadas por comunidades e governos;

- Encorajar os indivíduos, as organizações e os governos a promover as acções necessárias para pôr termo à perda da biodiversidade;

- Promover soluções inovadoras no sentido de reduzir as ameaças à biodiversidade;

- Iniciar o diálogo entre as partes interessadas para se definir os passos a serem dados após 2010.

Foi neste âmbito que a ONU enfatizou que esta campanha destinava-se a celebrar a diversidade da vida na Terra e a contrariar a perda da biodiversidade no mundo, tanto mais que esta perda, cujo ritmo de extinções é alarmante, é causada pelas actividades humanas, estimando-se que seja agravada pelas alterações climáticas.

Na verdade, a protecção da biodiversidade é uma preocupação à escala global, que necessita de uma acção à escala local, ao nível dos vários países e das suas comunidades.

Prometido que foi que o ano de 2010 seria um ano de mobilização internacional em relação a este desafio global, é tempo agora de esperar que a Cimeira da Biodiversidade, a ter lugar em Outubro próximo na cidade japonesa de Nagoya, concretize a pretensão de levar os diversos governos presentes a definir os objectivos e as etapas para contrariar a perda da biodiversidade.

Seria igualmente importante que também no nosso país se fizesse o balanço das iniciativas que foram levadas a cabo no âmbito desta campanha internacional a favor da biodiversidade.

É que este é um problema que nos afecta a todos, e a todos urge reflectir sobre as conquistas que foram alcançadas neste domínio em defesa da biodiversidade do nosso planeta.

Também por isso nos devemos concentrar na urgência deste desafio colectivo para o nosso futuro.

Finalmente, espera-se que 2010 acabe em Kanazawa, no Japão, em Dezembro deste ano, com uma Cimeira que marcará o início do “Ano Internacional das Florestas 2011”.

UN Secretary General Welcome Message for the 2010 International Year of Biodiversity from CBD on Vimeo.


comentar
publicado por João Carlos Pereira e Friends, em 23.09.10 às 01:08link do post | | adicionar aos favoritos

 

Invariavelmente, todos os anos por esta altura o Outono bate-nos à porta, e traz consigo dias mais curtos e húmidos.

O calor do Verão ficou para trás e, por isso, começamos agora a preparar-nos para os dias frios que se avizinham.

Mas, o Outono tem também os seus encantos: as folhas das árvores que começam a cair, as cores que a nossa vista consegue alcançar e que só no Outono as podemos vislumbrar, as iguarias típicas desta época, as primeiras lenhas que se queimam nas lareiras, os sons de festa e o latejar dos paladares que nos trazem o bom São Martinho e Todos os Santos, a prova do vinho, as viagens às adegas, as primeiras chuvas que fazem levantar o inebriante cheiro a terra molhada, o prazer do chá quente com uma saborosa torrada, as castanhas, as nozes, as deliciosas broas de mel, o cheiro a rosmaninho na alvorada do dia…

O Outono tem tanto para nos contar. E nós tanto para saborear…


comentar
publicado por João Carlos Pereira e Friends, em 22.09.10 às 18:18link do post | | adicionar aos favoritos

 

Foi inaugurado no passado domingo, dia 19, o novo Complexo Desportivo de Caxarias, uma obra que custou, segundo se diz, 900.000 euros à autarquia oureense e que constitui, para o edil socialista, um equipamento de modernização para o nosso concelho.

O relvado sintético e o mini-campo agora inaugurados, assim como todo o complexo desportivo passam a estar à disposição quer dos praticantes das diversas modalidades desportivas que ali se podem praticar, nomeadamente natação, karaté, atletismo e futebol, quer à população em geral.

Esta obra enquadra-se, portanto, num dos objectivos que serviram de base à apresentação, por parte do PS, do “Compromisso Estratégico com a nossa Terra” aquando das últimas eleições autárquicas, objectivo esse que prometia fazer do nosso concelho “um município com qualidade de vida”.

Vemos com bons olhos este tipo de projectos e iniciativas, porquanto o nosso concelho sempre esteve cerceado de uma aposta forte e imparcial no associativismo, na cultura e no desporto.

Por outro lado, não podemos deixar de notar aqui a existência do futuro Regulamento de Atribuição de Subsídios, e o longo calvário que foi a atribuição desses subsídios às diversas colectividades do concelho, as mais das vezes sem lei nem roque, ou sem critérios definidos de forma clara e objectiva, que beneficiaram uns em detrimento de outros, criando assim clivagens abissais entre as várias associações culturais e desportivas existentes, de que serve para má memória futura o exemplo do Clube Atlético Oureense.

 

Finalmente, é bom que todos não nos esqueçamos que houve em tempos na Câmara Municipal, e ainda lá devem estar os papéis (claro, se ninguém os queimou ou furtou) um projecto para a construção de um Estádio Municipal na cidade de Ourém, o qual, se a memória não nos falha, era para ser implementado na zona das feiras e mercados, onde actualmente se encontra localizado o Parque Linear, entre outras infra-estruturas e equipamentos, projecto que sofreu da doença de Alzheimer durante largos anos, foi metido na gaveta e remetido ao esquecimento, para, anos depois, como que por milagre, aparecer na cidade de Fátima.

É bom que a actual maioria na Câmara não se esqueça que o concelho de Ourém é muito grande e não é só Fátima, e que, apesar de muito boa gente pensar o contrário por esse país fora, Ourém sempre foi e continua a ser a sede do concelho e não a “Cidade-Santuário”.

E isso faz toda a diferença…    


comentar
publicado por João Carlos Pereira e Friends, em 22.09.10 às 17:03link do post | | adicionar aos favoritos

No início do novo ano lectivo 2010/2011, a Ministra da Educação, Isabel Alçada, teve a brilhante ideia de lançar na Internet um vídeo que ficou memorável não só pela forma, mas também pelo conteúdo.

Nesse vídeo, Isabel Alçada aparece a dar uma boas calinadas no português, para além de o estilo e a forma de falar serem francamente anti-pedagógicas, dignas de um enredo de uma qualquer novela mexicana.

A mensagem da ministra foi largamente difundida pelos órgãos de comunicação social, e logo apelidada de ridícula e extemporânea.

 

  

Vai daí, um jovem português, que se identifica como Rodrigo Tomás, certamente futuro candidato a uma escola de teatro, decidiu parodiar o vídeo de Isabel Alçada, colocando na Internet o seu próprio vídeo, no qual procura imitar o estilo da ministra, os seus gestos e os conselhos que dá aos meninos e meninas deste país.

 

  

Vale a pena descobrir as diferenças, ou as semelhanças, entre os dois vídeos.


comentar
publicado por João Carlos Pereira e Friends, em 21.09.10 às 22:16link do post | | adicionar aos favoritos

Lagoa das Sete Cidades, Ilha de São Miguel, Açores, Portugal.


comentar
publicado por João Carlos Pereira e Friends, em 20.09.10 às 18:14link do post | | adicionar aos favoritos

 

As grutas de Mira de Aire, situadas na freguesia com o mesmo nome, concelho de Porto de Mós, distrito de Leiria, foram consideradas uma das “Sete Maravilhas Naturais de Portugal”, um concurso que elegeu também o Parque Nacional Peneda-Gêres, o Portinho da Arrábida, a Ria Formosa, a Floresta Laurissilva, na Madeira, e a Ilha do Pico e a Lagoa das Sete Cidades, nos Açores.

As grutas de Mira de Aire foram descobertas em 1947 e são as maiores grutas de Portugal. Apresentam uma rara beleza, que é revelada pela Rota das Estalactites e por vários espaços que a compõem: a «Sala Grande» (1º Poço), a «Sala Vermelha», a «Joalharia», a «Cúpula Majestosa» (2º Poço) e a descida até à «Galeria».

Um passeio por este local permite-nos percorrer centenas de metros e admirar as estranhas e variadas formações calcárias, tais como a «Alforreca», os «Pequenos Lagos», o «Marciano», a «Boca do Inferno» e o «Órgão».

O nosso olhar também não pode perder a contemplação dos pequenos regatos e do Rio Negro, cujas águas, saltitando na cascata, se juntam às do Grande Lago. E é aqui que pode ver-se o grande espectáculo final da água, da luz e do som no seu maior esplendor.

Se quiser conhecer mais sobre esta maravilha da natureza, pode ir ao sítio das Grutas de Mira de Aire na Internet ou visitar outros links relacionados com o tema.

 


comentar
publicado por João Carlos Pereira e Friends, em 19.09.10 às 18:11link do post | | adicionar aos favoritos

 

Segundo reza a história, é a única e maior Catedral gótica italiana ao bom estilo francês, cuja construção foi lenta dado que os artistas italianos foram-se negado a concluí-la precisamente por não ter características romanas.

Em Milão, a beleza exuberante da Duomo causa-nos perplexidade.

A sua construção, que durou 500 anos, começou em 1386 e só veio a terminar no século XIX.

O objectivo inicial era fazer da Catedral o “abrigo” de toda a população da cidade que, à época, rondava as 40.000 pessoas.

Daí o seu nome, Duomo de Milão, isto é, a Casa de Milão.

Para além das inúmeras obras de arte que enchem esta Catedral, é possível apreciar ainda a estátua de São Bartolomeu a carregar a própria pele, as cerca de 3500 estátuas e figuras que a decoram, os seus vitrais que retratam mais de 3600 figuras, assim como subir às suas torres e apreciar uma bela vista da cidade de Milão.

Sendo uma das maiores do mundo, a Catedral de Milão é a terceira depois da Catedral de São Pedro e da Catedral de Sevilha.

Os seus imponentes 157 metros de comprimento e 109 de largura, com uma altura que chega aos 45 metros, fazem da Catedral de Milão um ex-libris e um ponto obrigatório de passagem para quem se desloca a esta linda cidade.


mais sobre mim
Setembro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9

17

24

28


links
pesquisar
 
subscrever feeds
Contador
free counters
Blog iNovOurém no Facebook
Google Translate
TWITTER
Followers
blogs SAPO