Novo Blog para o Concelho de Ourém. Rumo à Excelência. Na senda da Inovação
comentar
publicado por João Carlos Pereira e Friends, em 16.08.10 às 17:44link do post | | adicionar aos favoritos

 

O Eurostat (Gabinete de Estatísticas da União Europeia) divulgou sexta-feira passada os números do 2º trimestre deste ano relativos ao crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) dos países da Zona Euro e do conjunto da União Europeia.

Segundo aquele organismo, no 2º trimestre de 2010 a economia europeia cresceu 1,0% em relação ao 1º trimestre deste ano, enquanto que, comparando com o mesmo período do ano anterior, ou seja, o 2º trimestre de 2009, o PIB da Europa cresceu 1,7%.

As mesmas taxas de crescimento verificam-se no núcleo dos dezasseis países que constituem a Zona Euro.

Quanto à performance individual dos vários países, há a registar no 2º trimestre de 2010, em relação ao 1º trimestre, as taxas de crescimento da Lituânia (2,9%), da Alemanha (2,2%), da Estónia (2,0%) e da Eslováquia e da Suécia (ambas com 1,2% de crescimento).

Já quando comparado com o trimestre homólogo de 2009, o 2º trimestre de 2010 revela taxas de crescimento do PIB ainda mais expressivas, de salientar os 4,9% da Eslováquia, os 3,7% da Alemanha, os 3,6% da Suécia e os 3,5% da Estónia.

No que se refere ao crescimento das economias portuguesa, italiana, francesa, espanhola, grega e inglesa, as taxas são as seguintes:

-Comparação com o trimestre anterior (1º trimestre de 2010):

Reino Unido (1,1%), França (0,6%), Itália (0,4%), Portugal e Espanha (0,2%) e Grécia (-1,5%).

-Comparação com o trimestre homólogo do ano anterior (2º trimestre de 2009):

França (1,7%), Reino Unido (1,6%), Portugal (1,4%), Itália (1,1%), Espanha (-0,2%) e Grécia (-3,5%).

Importa agora ver mais de perto o caso português.

Como vimos, os indicadores do Eurostat apontam para um crescimento da economia portuguesa no 2º trimestre deste ano de 0,2%.

A mesma fonte revela que o PIB português cresceu 0,2% no 3º trimestre de 2009, retraiu no último trimestre de 2009 (-0,1%) e cresceu 1,1% no 1º trimestre de 2010.

Constata-se, igualmente, que a nossa economia teve, no 3º trimestre de 2009, um crescimento negativo de 2,3% relativamente ao período homólogo de 2008, manteve essa tendência, embora menor, no 4º trimestre de 2009, ou seja, -1,0% do que em igual período de 2008, recuperou no 1º trimestre deste ano, com um crescimento de 1,8% em relação ao 1º trimestre de 2009 e, finalmente, apresenta um crescimento no 2º trimestre de 2010 de 1,4%, quando comparado com o mesmo trimestre de 2009.

Verifica-se, assim, um crescimento do nosso PIB há já dois trimestres consecutivos, embora essas taxas de crescimento ainda estejam aquém da média comunitária: em relação ao 2º trimestre do ano, Portugal tem uma taxa de 0,2% contra 1,0% de crescimento na média da União, enquanto que na comparação com o trimestre homólogo do ano anterior Portugal apresenta uma taxa de crescimento de 1,4% contra 1,7% da média comunitária.


Fulano a 17 de Agosto de 2010 às 06:02
Outra informação interessante - «Metade do Produto Interno Bruto da Rússia vai parar às mãos dos funcionários corruptos, afirma a organização não-governamental Associação de Advogados pelos Direitos Humanos num relatório hoje publicado.

Esta organização, citando dados do Departamento da Segurança Económica do Ministério do Interior da Rússia, escreve que o “suborno médio” na Rússia na primeira metade de 2010 foi de 44 mil rublos (cerca de 1500 euros), o dobro do registado no ano passado.

A compra de um cargo na polícia de trânsito pode custar 40 000 euros e uma decisão favorável da justiça 26 mil, lê-se no relatório, realizado entre 02 de julho de 2009 e 30 de julho de 2010 com base em 6589 queixas.

“Segundo os nossos cálculos, cerca de 50 por cento da economia da Rússia está sob o domínio da corrupção, ou seja, ela constitui cerca de metade do PIB. Os nossos dados coincidem com os do Banco Mundial, que calcula que 48 por cento do PIB da Rússia está sob o domínio da corrupção”, considera a ONG.

“A fusão do mundo do crime e das forças da ordem tem um caráter universal”, constata-se no relatório. » Ou seja que quanto mais muda mais é a mesma coisa?

João Carlos Pereira e Friends a 17 de Agosto de 2010 às 15:11
Estimado leitor,

Antes de mais, obrigado pelo seu comentário.
Não deixam de ser reveladoras, mas em certo sentido previsíveis, as informações constantes desse relatório.
A Rússia ainda tem de percorrer um longo caminho até se poder afirmar no Mundo como uma potência séria e credível.
Veja o caso dos incêndios que assolaram o território nos últimos meses, de proporções imensas, e as autoridades russas ainda continuam a afirmar que as alterações climáticas que atingem todo o paneta são fantasias do ociedente e dos países capitalistas, nada tendo a ver com o flagelo vivido pelos russos este Verão.

O seu comentário é útil e oportuno, e, por isso, enriquecedor deste Blog.
Com amizade e um até breve,

João Carlos Pereira e Friends

mais sobre mim
Agosto 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9


28



links
pesquisar
 
Contador
free counters
Blog iNovOurém no Facebook
Google Translate
TWITTER
Followers
blogs SAPO