Novo Blog para o Concelho de Ourém. Rumo à Excelência. Na senda da Inovação
comentar
publicado por João Carlos Pereira e Friends, em 02.09.11 às 18:28link do post | | adicionar aos favoritos

 

As redes sociais são prolíferas, entre outras coisas, para proporcionar um leito confortável aos menos audazes, que não são capazes de sacudir o anonimato das costas e assumir a sua identidade e as suas ideias.

Mercê de uma fraqueza de espírito ou, quem sabe, de alguma maleita congénita aguda, arrogam-se de uma mão cheia de vaidade, apenas com o fito de mostrarem uma folha de serviço, sabe-se lá a quem e a troco de quê.

A mais recente novidade cibernáutica chega a Ourém através de uma página do Facebook, intitulada “Ourém Desabafos”, cujo emblema identificativo é o que os estimados leitores podem encontrar mesmo aqui ao lado.

Não fosse a obscuridade que envolve a sua criação, o anonimato do(s) seu(s) criador(es) e a “dinâmica literária” que anima a referida página, donde se exclui evidentemente a honorabilidade de quem a segue e nela escreve, e o assunto ter-me-ia passado completamente ao lado. Porém, como oureense de “gema” que sou – como é usual dizer-se sobre quem nasce e é criado em determinada localidade (sim, parece caso raro, mas é verdade, pois tive o privilégio de ter nascido em pleno centro da minha Vila Nova de Ourém, faz agora pouco mais de quarenta anos) –, não podia ficar indiferente a mais esta tentativa tosca de burlar as pessoas com uma iniciativa despudorada como esta.

Há, e repito, há por vezes razões que a própria razão desconhece, súmulas antiquadas que nos iludem e confundem, esqueletos escondidos no armário, cujas auras recalcadas e doentes reflectem criaturas sedentas de glória, de protagonismo e de muita confusão.

Acaso António Aleixo fosse vivo, teria certamente motivo para voltar a parafrasear um dos seus ilustres escritos, uma preciosidade da nossa literatura, tantas vezes esquecida por muitos, mas na sua essência bem viva entre todos nós (porventura mais viva do que alguma vez possamos imaginar): “Sei que pareço um ladrão, mas há muitos que eu conheço, que sem parecer o que são, são aquilo que eu pareço” (SIC).

Claro que é muito mais fácil carimbarmos a nossa existência com o nosso egoísmo e a nossa petulância, embora isso seja um pífio sinal de bondade e espelhe a fraqueza atroz do Ser Humano.

Raiar a legitimidade da voz humana através do ruído ensurdecedor da escuridão e do medo é meio caminho andado em direcção ao ridículo e ao abismo.

O mesmo abismo que não tem dó nem piedade por todos aqueles que, sendo deliberadamente fracos, fazem do anonimato a almofada confortável da sua perene inexistência, e para quem a História será um mero repositório de letra morta.

 

PS: Este escrito é dedicado, em abstracto, a todos aqueles e a todas aquelas que fogem da frontalidade e da assunção clara e inequívoca das suas ideias como o diabo da cruz.

E dedicado é também a todos os paus-mandados, a todos os intrépidos paladinos da desgraça, àqueles espíritos sem rosto que apenas merecem a nossa singela piedade.

Aos ofendidos ou a quem a carapuça serviu, deixo por fim uma palavra: revelem-se e assumam-se, e sejam bem-vindos ao mundo vivo dos Homens.       


Carlos Gomes a 2 de Setembro de 2011 às 21:48
Penso que o "Ourém Desabafos" pode ser um espaço útil para que as pessoas, ainda que a coberto do anonimato, desabafem aquilo que por vezes não ousam dizer directamente aos autarcas locais e, simultaneamente, estes possam de alguma forma saber o que tais pessoas pensam e avalizar o grau de esclarecimento em que se encontram. Não significa com isto que esteja a fazer a apologia da crítica anónima e cobarde mas devo reconhecer que algumas pessoas receiam possíveis represálias de qualquer espécie com ou sem fundamento e outras procuram fazer mau uso da liberdade que foi instituída. Em todo o caso, são sintomas de que a liberdade está por um fio...
Tal como a conquista da liberdade dependeu da coragem de muitas pessoas que desafiaram as instituições repressivas, também a sua conservação depende da capacidade de cada um saber utilizá-la respeitando os diferentes pontos de vista sem abdicar da sua própria opinião. Não há liberdade sem homens livres!
Penso, pois, que o "anonimato" no "Ourém desabafos" depende da atitude de cada um... aliás, na Internet, o anonimato é uma coisa que nem sequer realmente existe!...
Eu aderi ao "Ourém desabafos" no facebook e não escondo a minha identidade.

Carlos Reis a 13 de Setembro de 2011 às 00:22
Boas a todos!
Só queria esclarecer aqui 1 ponto que me parece importante: a página é anónima e tem este boneco, mas quem lá vai comentar são pessoas "normais" e reais, ficando registado o seu comentário com o seu perfil/página!
Eu acho interessante esta ideia de poder desabafar, podermo-nos queixar sobre algo que não está correcto, em bons modos como é evidente, e usar isso de forma a ver se é possível melhorar a nossa terra. Mais do comentários de carácter negativo, penso que são antes indicações de situações que as pessoas notam, como é o caso da iluminação durante o dia no mercado municipal, algumas vias rodoviárias a precisar de algum melhoramento, e o caso mais recente, o do Centro de Saúde, que afecta boa parte da população do concelho. Acho que todos estes aspectos dizem respeito à vida de todos, e se uns não reparam, ainda bem que há alguém que o faz... se isso puder melhorar alguma coisa na nossa terra, ainda bem!
Se não se conseguir isso, pelas menos as pessoas andam mais calmas e menos "inchadas" porque podem desabafar livremente!

mais sobre mim
Setembro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

12
13
15
16
17

18
19
20
21
22
24

25
26
27
28
29
30


links
pesquisar neste blog
 
Contador
free counters
Blog iNovOurém no Facebook
Google Translate
TWITTER
Followers
blogs SAPO