Novo Blog para o Concelho de Ourém. Rumo à Excelência. Na senda da Inovação
comentar
publicado por João Carlos Pereira e Friends, em 05.08.10 às 10:10link do post | adicionar aos favoritos

 

O Procurador-Geral da República, Pinto Monteiro, disse esta semana, em entrevista ao “Diário de Notícias”, que os seus poderes assemelhavam-se aos da Rainha de Inglaterra.

Por nós, achamos que há, pelo menos, mais duas semelhanças entre o nosso chefe máximo do Ministério Público e a Monarca Inglesa.

Desde logo, o chapéu.

No entanto, o chapéu da rainha tem griffe e fica-lhe muito bem, ao passo que o do procurador é simplório e torna-o ainda mais parolo.

Depois, a presença nos cargos.

Se a rainha se tem revelado ao longo do tempo uma conservadora por natureza, com sentimentos gélidos e snob em excesso, e, por isso, já há muito deveria ter passado o testemunho, pelo lado de Pinto Monteiro as coisas não são muito diferentes, tendo o mesmo se revelado um provinciano e um inábil no exercício do cargo, metendo os pés pelas mãos, dando tiros nos pés e, por isso, igualmente dispensável.

Era um favor que fazia a si próprio, ao país e à credibilidade da justiça.

A não ser que uma figura balofa como esta, e no cargo que ocupa, seja conveniente e aproveite a alguém…


José Esteves a 5 de Agosto de 2010 às 16:49
O III Reich, também colocou no lugar certo aqueles que o deviam bajular, e ocultar os seus crimes. A mim doi-me os impostos que estes cretinos comem, para continuarem a viver à custa do povo, andarem em bons carros, e terem viagens em jactos particulares. Outros nem pensões têm depois uma vida de trabalho. É um pais que foi saqueado, agora nada têm para roubar.

João Carlos Pereira e Friends a 5 de Agosto de 2010 às 17:15
Prezado leitor,

Muito obrigado pelo seu comentário!
Apenas quisemos expressar o que, humildemente, pensamos sobre o assunto.

Um forte abraço e até breve.

João Carlos Pereira e Friends

Carlos Duarte a 5 de Agosto de 2010 às 18:36
Há pelo menos mais uma semelhança: ambos são inábeis em computadores, não existindo esses equipamentos nas suas secretárias.

Adolfo a 5 de Agosto de 2010 às 22:41
Pinto Monteiro homem honesto e sério está entregue aos bichos. Aqui os bichos são os homens do sindicato dos magistrados. Que tal investigar as contas bancárias deles e de onde vem o seu património e o da família? Se as noticias aparecem nos jornais durante o segredo, quem as dá (luvas?) aos jornalistas?.

Raul Soares a 5 de Agosto de 2010 às 23:16
Se os poderes do PGR e portanto a autonomia do Ministério Público, estão LIMITADOS POR LEI (e por isso o Bastonário diz que o PGR não manda nada), digam-me lá "ó inteligências lá do Olimpo", qual é a solução? Qual ? Não ouço bem. Repitam lâ, qual é a solução?

Anónimo a 5 de Agosto de 2010 às 23:53
A justiça neste País é uma tortura, começando pelos advogados e acabando em cima.
O ser humano é imperfeito por natureza, quem é que controla os juizes?
Nós temos de saber as leis, eles não, para eles não há regras, o Sr. Bastonário disse que alguns produzem aberrações.
Foi para isto que fizeram o 25 de Abril? Continuamos numa ditadura.
Os nossos politicos andam a ver muitos filmes, desçam à terra, não é só o cidadão comum que se porta mal.
O Estado tem falta de respeito por nós.

Anónimo a 6 de Agosto de 2010 às 00:50
O estado Português não é pessoa de bem e viola direitos humanos. Portugal não é um estado de direito e é um país sem lei, a lei é feita na altura pelo tribunal de acordo com os interesses existentes. As instituições não têm credibilidade, ninguém as controla, não prestam contas a ninguém, quem as impede de violar a lei (que apesar de tudo está escrita embora não seja cumprida) e de cometeram as maiores atrocidades? A justiça neste país é uma tortura, não lida bem com a critica e persegue os opositores como antes do 25 de Abril.

O meu Pai morreu, foi tratado pela justiça como uma coisa que estava ali num canto à espera da morte, que nem direito tinha de estar com os filhos. Uma atitude de completo desprezo pela pessoa humana. Tinha-o visto há 10 meses no hospital, vi-o no hospital 2 dias antes de morrer, isto é monstruoso. Como eu critiquei essa justiça, agora estão a fazerem-me a vida negra, inventaram custas, incidentes, etc, para eles não há regras, é o vale tudo. Violam a constituição, a lei e os direitos humanos, e tudo isto com a cumplicidade de alguns meios de comunicação social para quem isto não é uma noticia de interesse publico, isto é uma noticia que convêm abafar. Está na constituição que os tribunais administram a justiça em nome do povo, assim eles devem prestar contas a nós. Apelo a todas as pessoas de bem que por um mundo melhor divulguem esta mensagem. Isto não acontece só aos outros, tenham cuidado, muito cuidado com esta (in)justiça, obrigado.

Sérgio a 6 de Agosto de 2010 às 11:28
Artigo e opiniões estúpidas, típicas do burro portuga. Não gosto deste PGR, mas "provinciano" é a pqtp... Os "citadinos" é que tornaram este país na mer_da que é. Ass: um morado na província...

Súbdito a 6 de Agosto de 2010 às 12:19
Só para informar o seguinte: nasci na provìncia, vivi em Lisboa e agora volto a residir na província e por isso informo-o que V. EXA., sr. Sérgio, não sabe o significado de "provinciano". Talvez não saiba o significado de "provinciano" pelo simples facto de você ser um provinciano com tiques provincianos! É que há citadinos provincianos iguaizinhos a você assim como há provincianos citadinos iguais a mim e provavelmente ao autor do texto em causa (Vila Nova de Orém é província). Não foi minha intenção vir em defesa do autor do blog, mas somente meter mais confusão na sua cabecinha provinciana.

João Carlos Pereira e Friends a 6 de Agosto de 2010 às 16:18
Caro leitor,

Obrigado pelo seu comentário.
Permita-nos, no entanto, dizer-lhe que é com muito orgulho que nascemos e moramos na denominada "Província".
Para além disso, o 25 de Abril foi feito, entre outras coisas, para restituir a liberdade que durante 48 anos foi subtraída aos portugueses.
Não vemos, assim, por que motivo não poderíamos expressar os nossos pontos de vista num país que, pensamos, ainda é livre e democrático.
Finalmente, se teve azar à nascença com a "profissão" da sua mãe, creia-nos que só temos a lamentar. Por nós, a nossa chama-se Maria Fátima, está de boa saúde e manda-lhe cumprimentos.
Ah, e viva a Província! Já cá estamos há quase 39 anos e por aqui iremos ficar!

Com respeito e amizade,

João Carlos Pereira e Friends

Francisco F.Martins a 6 de Agosto de 2010 às 11:31
Realmente a Imprensa é livre...,os comentários são livres...o povo é livre!... e quando existem suspeitas de sensura no que quer que seja, cai o " carmo e a trindade"!!!...Mas...,diga-as a verdade,para escrever coisas que são autentico " esterco",falta de respeito pela dignidade e honra do ser humano, sem piléria nenhuma para rir,valia mais estar quieto e fazer primeiro a sua "autocrítica" de pessoa torta, vesga ou zanaga, tal qual um " cú" quando cá.....Finalmente ,que cúlpa tem o SR.PROCURADOR G.da ´República que a Srª.Magistrada Cândida Almeida tenha deixado passar o prazo para inquirir o Sr.Engº.Sócrates!?...Nenhuma, absolutamente nenhuma e a " MONTANHA ACABA DE PARIR MAIS UM RATO!!!...

João Carlos Pereira e Friends a 6 de Agosto de 2010 às 16:30
Estimado leitor,

Antes de mais agradecemos o seu comentário.
Pensamos, no entanto, que vivemos num país democrático, onde as diferentes opiniões podem livremente conviver sem chocarem umas com as outras.
Se tiver um tempo agora nestas férias, leia a autobiografia de Jack Welsh, ex-CEO da General Electric, que lhe dá excelentes dicas de como se faz a gestão de uma qualquer organização, seja uma empresa privada ou pública, uma ONG, uma IPSS, uma Câmara...
É que, segundo ele, quando um chefe não sabe gerir nem liderar a sua organização, só lhe resta uma saída: procurar emprego noutro lado ou mudar de profissão.
E olhe que este "guru" norte-americano, a par de Peter Drucker, são excelentes mestres na arte da gestão!

Boas leituras, um abraço e até breve.
Com amizade e respeito,

João Carlos e Friends

Súbdito a 6 de Agosto de 2010 às 12:01
De acordo com o conteúdo colocado pelo bloguista mas em pleno desacordo com as afirmações do "xuxalista" da Guarda no cargo de PGR. Ora vejamos; como é que o dito cujo se descreve com os mesmos poderes da Rainha de Inglaterra se na realidade a Rainha nunca teria hipóteses de anular, por exemplo, escutas comprometedoras do seu "patrão" digníssimo "injinheiro" de fins-de-semana?

João Carlos Pereira e Friends a 6 de Agosto de 2010 às 16:33
Estimado leitor,

Obrigado pelo seu comentário, é sempre enriquecedor podermos partilhar diferentes pontos de vista.
É desta troca de visões que nasce a luz!

Com amizade,

João Carlos Pereira e Friends

Aldeia Sempre a 6 de Agosto de 2010 às 12:28
Ha um calao mindrico que diz "OS CAES GRANDES NAO SE MORDEM UNS AOS OUTROS"
Façam as leis que fizerem a justiça pela mao dos seus sacerdotes decide sempre em favor das conveniencias.
Otelo tinha razao : Todos para o Campo Pequeno.
Tambem e certo poucos por ca ficariam

João Carlos Pereira e Friends a 6 de Agosto de 2010 às 16:32
Caro leitor,

Obrigado pelo seu comentário.
Apenas foi nossa intenção expressarmos os nossos humildes pontos de vista.

Com amizade,

João Carlos Pereira e Friends

mais sobre mim
Agosto 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9


28



links
pesquisar
 
blogs SAPO