Novo Blog para o Concelho de Ourém. Rumo à Excelência. Na senda da Inovação
comentar
publicado por João Carlos Pereira e Friends, em 18.02.11 às 23:50link do post | adicionar aos favoritos

Uma das bandeiras que o Partido Socialista utilizou nas últimas eleições autárquicas, e a nosso ver bem, foi o excessivo endividamento da Câmara Municipal de Ourém e o prejuízo financeiro que, mau grado o questionável apuramento, se traduziria em muitos milhões de euros, um saldo negativo que se foi acumulando ao longo dos últimos anos.

Esta situação precária das finanças municipais vivia (e vive) a paredes-meias com uma crise internacional e nacional, que começou por ser financeira, depois económica e, finalmente, social, com o défice orçamental e a dívida pública a registarem valores insustentáveis, e o desemprego a subir vertiginosamente.

Contra aquilo que foram as suas bandeiras ou promessas eleitorais, ou seja, assumir uma gestão de rigor, dando primazia à contenção das despesas e do desperdício, não foi preciso esperar muito tempo – foram precisos apenas oito meses –, para o PS começar a gerir a autarquia oureense em contra-ciclo.

Referimo-nos concretamente às festas da cidade de Ourém, de Junho passado, as quais, contra todas as expectativas que seriam razoáveis, tiveram lugar envoltas em grandiosa pompa e circunstância, como se o tempo que então vivíamos, como continuamos a viver agora, fosse de vacas gordas e o município oureense estivesse a nadar em dinheiro, como é uso comum dizer-se quando se vive acima das possibilidades.

Fomos críticos o bastante em relação à megalomania da organização daquele evento, como o fomos em relação ao misticismo que envolveu o modo de como tudo aquilo foi pago.

Para o efeito, o presidente da Câmara Municipal de Ourém, Paulo Fonseca, pressionado pela Oposição na Câmara e perante o coro de dúvidas que se fizeram sentir, sentiu-se na “obrigação” de dar explicações aos oureenses, tendo afirmado, em entrevista ao Jornal “Notícias de Ourém” (salvo erro em Agosto do ano passado), que tinham sido os patrocinadores a suportar praticamente todos os custos das festas, as quais, recorde-se, compreenderam a realização de vários espectáculos musicais, de relevante mérito e peso nacional, mas que se fizeram certamente pagar a bom preço ou, pelo menos, a preço justo.

Na mesma entrevista, Paulo Fonseca abria um pouco o véu, dando-nos conta que um dos benditos patrocinadores misteriosos tinha sido a Sagres – ora aí está uma revelação do outro mundo, como se a visibilidade desta marca não tivesse ficado claramente retida nos olhos das pessoas ou não tivesse matado a sede a muita gente.

Continuava naquela entrevista, prometendo a realização de um relatório das festas, encontrando-se constituída uma comissão para a sua elaboração, e que a breve prazo seria publicamente apresentado.

Pois bem, passados oito meses sobre a data do evento, é caso para perguntar:

Onde está o famigerado relatório? O que é feito da misteriosa comissão? Oito meses não serão suficientes para dizer aos oureenses, em poucas linhas, onde se foi buscar o dinheiro e quem foram as almas caridosas que, em tempo de vacas magras, puxaram dos seus abnegados interesses e presentearam os oureenses com tamanha festividade?

Ou será que as questões do rigor e da transparência só se aplicam aos outros e servem apenas de mero apanágio eleitoral?

Se para elaborar um simples relatório das festas da cidade são precisos mais de oito meses e tanto secretismo e polémica, começamos a perguntar-nos o que não poderá estar por debaixo do pano ou o que mais poderá vir por aí…

tags: ,

comentar
publicado por João Carlos Pereira e Friends, em 26.12.10 às 19:21link do post | adicionar aos favoritos

comentar
publicado por João Carlos Pereira e Friends, em 11.10.10 às 22:09link do post | adicionar aos favoritos

comentar
publicado por João Carlos Pereira e Friends, em 26.08.10 às 16:18link do post | adicionar aos favoritos

 

Parte I

No passado domingo, 22 de Agosto, pelas 17 horas, teve lugar em Ourém uma imponente corrida de toiros.

Com o apoio da Câmara Municipal de Ourém, o evento contou com a participação de Rui Salvador, José Manuel Duarte e João Pedro Cerejo.

Na Praça de Toiros de Ourém estiveram 6 bonitos toiros da ganadaria de Nuno Casquinha e a presença de 2 grupos de forcados amadores da Azambuja e Caldas da Rainha.

Largas centenas de pessoas aderiram a mais esta iniciativa, largamente publicitada pela cidade e pela região, trazendo público de diversas paragens até à nossa querida cidade.

Houve até quem, no dia e à hora marcada para a realização do espectáculo tauromáquico, ao chegar a Ourém, perguntasse a quem apanhava mais à mão: onde é que fica a Praça de Toiros de Ourém?!

 

Parte II

Bom, o segundo capítulo deste linda história teve um final em tudo idêntico ao que sucedeu lá para os lados de Vila Real com um espectáculo musical de Verão que prometia a presença de nomes célebres da música nacional e que, depois, veio a revelar-se um autêntico “flop”.

Da tourada, nem sinais, e, ao que alegadamente consta, parece que a razão para o cancelamento desta festa surreal foi o facto de a organização se ter esquecido de arranjar primeiro um local apropriado para a dita tourada.

Ora, vai daí, quando os senhores que montam o recinto adequado a este tipo de eventos chegaram a Ourém, ups… não havia sítio!

Dizem ainda as más-línguas que outro dos motivos foi o facto de 2 toiros se terem constipado na véspera, não podendo estar presentes.

Os restantes 4, como se pode ver na foto abaixo, e como, aliás, pudemos constatar com os nossos próprios olhos, andavam a pastar alegremente nas imediações do Centro de Negócios e do Parque Linear, certamente à espera que fosse deitado o primeiro foguete para dar início à festa.

É caso para dizer: parabéns, foi uma linda tourada!

 

 


comentar
publicado por João Carlos Pereira e Friends, em 17.08.10 às 00:29link do post | adicionar aos favoritos

 

Em conferência de imprensa promovida pelo executivo camarário no passado dia 29 de Junho, com o objectivo de esclarecer cabal e definitivamente o custo das Festas da Cidade, o presidente da Câmara Municipal de Ourém, Paulo Fonseca, instigado pelos jornalistas a divulgar os nomes dos patrocinadores e as respectivas quantias que cada um deles suportou, esclareceu que “isso será público já que a Comissão encarregue de organizar as festas da cidade irá apresentar um relatório detalhado sobre as mesmas, ficando para já apenas os valores globais” (in Notícias de Ourém, edição de 2 de Julho, página 9).

Salvo erro ou omissão, estamos em crer que o propalado relatório ainda não foi tornado público, e já passaram cerca de dois meses sobre o fim das festas.

Com efeito, julgamos que é de extrema importância perceber como foi possível a Câmara levar a cabo um programa das Festas da Cidade tão arrojado como aquele a que assistimos, sobretudo numa altura em que a situação económico-financeira nacional não era (é) favorável e conhecido que era o enorme buraco financeiro da Câmara, herdado do executivo anterior.

Para além da “Sagres”, é bom que se conheçam os outros patrocinadores e que parte dos custos cada um suportou, para que todo o processo seja perceptível e transparente… e para que não subsistam quaisquer dúvidas quanto à idoneidade dos “benfeitores” e da bondade das suas acções altruístas e beneméritas.

tags: ,

comentar
publicado por João Carlos Pereira e Friends, em 23.06.10 às 21:49link do post | adicionar aos favoritos

 

Hoje é noite de São João, e a bela sardinha assada é rainha. Mais um copinho de vinho e muita animação sobre a mesa. A broa e o caldo verde também não podem faltar nesta grande noite de muita festa. Viva o São João!

tags:

mais sobre mim
Outubro 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


links
pesquisar
 
subscrever feeds
Contador
free counters
Blog iNovOurém no Facebook
Google Translate
TWITTER
Followers
blogs SAPO